Transtorno de personalidade

13:30


 O transtorno de personalidade é um distúrbio caracterizado pela mudança de atitude do paciente que não percebe tal alteração. Ou seja, o indivíduo age com naturalidade, mas na verdade está em constante mudança de personalidade, de ambiente, e não consegue distinguir a fantasia do real. Um anime que aborda este assunto é Chu-2 Byo, e vamos conversar um pouco a respeito...

 Esse é um problema pouco estudado no Brasil. Mas em "Chuunibyou demo Koi ga Shitai!", é tratado como um mundo fantasioso onde os personagens que são afetados pela síndrome vivem em seu próprio mundo baseado no que consideram real. Tudo o que existe ao seu redor é visto de forma diferente, e as causas podem ser variadas. No caso do anime, a personagem principal, Rikka, passou por um grande trauma e, na tentativa de fugir do que aconteceu, criou um universo mágico onde envolve seus amigos, sua família e quem mais aparecer.

 É como viver em um universo paralelo. Na história, os que apresentam o transtorno mental desenvolvem poderes surreais e iniciam uma batalha com invocação de poderes e armas. É comum para o portador da síndrome criar um ambiente que funciona como porto seguro para algo que lhe fez mal no passado ou continua lhe perturbando no presente. E não há escolha. O portador deve perceber a realidade, sendo com a ajuda de amigos ou por conta própria e se desfazer das invenções que criou para se desprender daquilo que o mantinha fechado do mundo.

 A síndrome pode não se manifestar somente com a criação de um outro mundo e poderes mágicos como vemos a seguir... Outros possíveis sintomas do transtorno de personalidade são: pessoas que não expressam qualquer tipo de emoção, que sejam extremamente desconfiadas e/ou paranoicas; pessoas que vivem somente de emoções trágicas e exageradas ou que vivem pelo sofrimento dos outros.

 E é claro que isso afeta o relacionamento pessoal e profissional. Como é um assunto bastante complexo não há como distinguir um caso de outro apenas levantando suspeitas. Por isso o melhor a se fazer é procurar um especialista, pois ele auxiliará e mostrará a melhor saída para o portador da síndrome.

Você também pode gostar

4 comentários

  1. Caramba, esse anime parece ser bem legal. Além do mais aborda um assunto tão trágico - vamos assim dizer - é uma doença que felizmente não atingiu ninguém que eu conheça, mas que creio eu, o numero de pessoas doentes deve ser auto. Para ser sincera nunca pesquisei porcentagens de pessoas com esse tipo de transtorno pelo mundo, além do mais eu sempre li muito sobre doenças, mas todas baseadas em fobias, vírus ou bactérias, nada com um nível alto de mexer com sua mentalidade. Curti o post, achei bem interessante.

    http://animesjaychan.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Interessante tocar nesse assunto. Transtorno de personalidade não é algo que vemos muitas pessoas falando à respeito. Eu mesma nunca parei para ler sobre isso à fundo, mas já assisti o anime que você citou como exemplo; Chuunibyou demo Koi ga Shitai! É difícil acreditar que há pessoas que tem esse transtorno de personalidade, e as vezes nós nem sabemos, acho difícil perceber. Enfim, o anime é bem legal, e eu até achava meio bobo como a Rikka se comportava Haha
    Acho que pessoas com esses transtornos meio que usam isso para escapar de algo que as deixam tristes. E ai criam seus próprio mundo como no anime. rs
    Adorei o post! Aliás adorei o seu blog por inteiro! Muito lindo e com ótimas postagens, amei *-* Seguindo \o beijos ~

    sonho-oriental.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Quando assisti Chuunibyou eu pensava que eram apenas uma turma de lesados brincando de RPG com o ar, mas depois de pesquisar um pouco vi que isso realmente existe, e agora você me apresenta tudo que eu queria saber xD
    Bom, o caso deles pode ser extremo, mas creio que todos tem seu "mundo secreto" para onde fogem quando estão tristes. Eu mesmo tenho meu refúgio mental, mas sei que não posso viver assim pra sempre.
    Eu não acho que cheguei a tal ponto, mas uma vez sofri um certo trauma, o que me fez ter medo de me expressar com medo que algo ruim fosse acontecer de novo se eu mostrasse o que penso, então eu era inexpressivo, pelo menos até meus 14 anos de idade, que foi quando eu comecei a ir no médico, e depois de algum tempo eu tenho ignorado esse trauma e me expressando bem, mas dependendo da situação eu travo novamente, é bem irritante, mas enfim, chega de história, vou indo, até~

    ~Nippan~

    ResponderExcluir
  4. O anime realmente é muito bacana, mas eu tinha duvidas se a síndrome realmente existia ou foi apenas uma coisa inventada pelo autor do anime. Acho que criar um mundo imaginário deve ser o menor dos problemas de alguém com isso, deve ser muito difícil. Adorei saber mais.

    Bjinhos
    Jeh

    ~Uma Geek Descolada

    ResponderExcluir

- Aproveite este espaço para conversar conosco. As guardas estarão monitorando e moderando seus comentários para evitar que não sejam lidos e também evitar comentários desrespeitosos;

- Deixem sempre o link de vossos blogs nos comentários para que nós e outras pessoas possam visitar;

- Caso queira entrar em contato sobre o blog use o nosso e-mail (ruadasbegonias@gmail.com).

Siga o blog

Acompanhe pelo facebook

Conheça outros blogs